26 de agosto de 2014

Respostas: Questões de Platão à Sofia (desafio)

Hey vocês! Como estão? Espero que estejam bem. Eu estou legalzinha, tô cansada, tô com sono e tenho que estudar, pois as provas do colégio estão chegado. Hoje recebi a notícia que passei na UC do curso \o/ Agora é outra matéria u-u Mas enfim, passei. E tô animada porque toda vez que chego do curso consigo assistir The Mentalist e NCIS:Los Angeles, tô vendo o Patrick e o Deeks todo final de  tarde, me beijem u-u -n 
Deeks, meu lindjo, meu lindjo
Ok, o post de hoje é diferente: trata-se de um desafio bem legal que a Sara, do blog Interesses Sutis propôs para blogs literários e pessoais. O desafio é responder algumas perguntas presentes no livro O mundo de Sofia (tô louca pra ler :3); tais questões são bem legais e me deixaram um tanto confusa e ansiosa pra saber as respostas. Enfim, cá estão os meus palpites:
No início do livro, quando o professor de filosofia que dá aulas por correio para Sofia está em Atenas, ele encontra Platão, que propõe as seguintes tarefas à ela:
1) Primeiro você deve pensar sobre o que um padeiro deveria fazer para conseguir assar cinquenta biscoitos exatamente idênticos;
Ele poderia fazer 50 biscoitos com a mesma forma (?)

2) Depois, pergunte a si mesmo porque todos os cavalos são iguais;
Porque todos os cavalos são cavalos u-u Não sei bem como responder, mas co-relacionando com a primeira resposta, talvez todos os cavalos saíram de uma única forma, que nem os biscoitos T_T

3) Em seguida, reflita se você também acha que os homens possuem uma alma imortal.
Acho que sim, mas alma ~ao meu ver~ não é de cunho espiritual, que quando alguém morre a alma dela fica rondando pelo mundo. Isso não. Talvez a palavra que eu usaria pra isso seria algo diferente de alma, mas creio que os humanos têm uma algo "imortal" pelo fato de terem consciência da vida, de pensarem, de se emocionarem; não se limitam a serem apenas matéria orgânica, são algo mais, e é exatamente esse algo mais que pode vir ser essa "alma imortal". (lembrei de Augusto dos Anjos agora)

4) E por fim você deve dizer se mulheres e homens são igualmente racionais.
Sim, são seres humanos iguaizinhos, a não ser pela anatomia.

Essas foram minhas respostas. Tentei usar lógica nas respostas, algo que fizesse sentido e que desse pra entender, mas enfim, não tenho certeza se consegui. Só sei que QUERO SABER AS RESPOSTAS CERTAS, OMG!!!111 UAHAHAHHA Mas sério, adorei esse desafio, adorei mesmo :-)
E você, quer participar também? Responda as perguntas no seu blog e coloque o link no post como comentário na postagem *essa aqui* do blog da Sara. Agora corre, que é até dia 05 de setembro. 
Ah sim, tem um prêmio pra quem acertar as respostas :3 
É isso, espero que tenham gostado 
Kissus ~

18 de agosto de 2014

Desenhos animados da minha infância

Olá pessoal, como vai vcs? (vcs nunca me respondem, T_T) Eu tô meio cansada, amanhã tenho prova no curso e no colégio química e quero tirar a nota máxima na do curso, pois não quero ir pra recuperação ~ninguém merece recuperação~ Mas enfim, vamos ao post.
Um dia desses, no twitter, uma postagem me fez voltar alguns anos atrás e lembrar dos desenhos animados que eu assistia quando pequena. Lembro que, toda vez que eu chegava da escola, era ligar a televisão na TV CULTURA e passar a tarde inteira assistindo desenhos. Então, me deu vontade de fazer esse post com gosto de nostalgia, porque sim u-u Tem vários, mas vou postar somente alguns pra o post não ficar tão grande. Quem sabe eu faça uma segunda parte, ein ein ein? Então, let's go!!





Pra começar, um dos desenhos (se não for o desenho) que mais marcou a minha infância: O pequeno urso Cara, vocês não têm ideia de como eu amava (e amo, porque não? rs) esse desenho. Lembro que passava na TV Cultura nos domingos/sábados (?) e eu simplesmente amava. Me sentia em outro mundo, uhehehe xD A história é voltada às aventuras de um pequeno urso, que tem como amigos a Coruja, a Pata, o Gato, a Galinha. 









MDSSSSSSSS, Rua do Zoo 64 :3 Eu a-d-o-r-a-v-a esse desenho, cara, ficava louca pra morar do lado de um zoológico também e_e UAHAHAHAHAHHA Se eu não me engano, o nome da guria é Lucy e todas as noites ela, através do pescoço da girafa, desce ao zoológico vizinho à sua casa e, sempre tinha algo que os bichos contava, uma história e tal, não lembro muito bem. 


Charley e Mimmo. Adorava, eu morria de pena do Mimmo ;-; haha xD Eu ficava tentando descobrir o que o Charley era (agora percebo que ele era um pinguim, cara, que coisa viu) e tinha alguns episódios que eu ficava com raiva dele, porque ele abandonava o urso u-u 







PIN PIN PIN PIN PINGU PINGU!!!!!!!!!!!!11111 UHAHAHAH Esse é especial <3 Ainda passa na TV, acho que no mesmo canal :) Cara, o Pingu era muuuuuuuuuito louco, muito louco mesmo HSUADUAHDUHAS Como eu ria :P Eu não entendia nada do que eles falavam (só o NO! que o Pingu falava)
Esses daí, só foi eu ver a foto e a música da abertura veio logo na minha cabeça :3 Os camundongos aventureiros!! Emily e Alexander formamos uma dupla legal, onde quer que haja aventura nós estaremos lá eu adorava as viagens dele, eu amava a Emily e essa roupitcha dela, achava uma fofura *u* Me dava vontade de ser um rato só pra fazer o que eles faziam e_e (olha a mente da menina, olha só) e esse desenho só aumentava a minha repulsa por gatos u__u



E mais alguns, rsçrçsçrs :3

(desculpem a colagem mal feita, tô com um pouco de pressa pois tenho que estudar u-u)

Então pessoal, esses foram alguns dos desenhos. Você conhece algum desses? Posta aí :P Me fale quais eram os desenhos que vocês gostavam na infância. Comentem aí!
Espero que tenham gostado, 
beijos no coração

31 de julho de 2014

Já ouviu falar sobre Maze Runner?

Olá olá, tudo bem com vocês? Eu estou bem, na correria do dia-a-dia: andando em ônibus onde motoristas não lembram que carregam pessoas e fingem estar no videogame jogando NFS T_T; e fazendo várias atividades pro colégio/curso. Ontem mesmo recebi a minha nota de Educação Ambiental lá do curso e passei \o/ E hoje já começou outra matéria e enfim... Espero que eu passe também, hehe xD
Bom, pessoal, essa semana (?) divulgaram mais um trailer de Maze Runner: Correr ou Morrer e tá bem legal, viu? O filme é adaptação do livro com o mesmo nome, do James Dashner. Há um tempo atrás, quando eu ouvi falar sobre esse livro, fui correndo ler. Conta a história de Thomas, um garoto que acorda num elevador sem qualquer lembrança: somente lembra do seu nome e nada mais. O elevador o deixa em uma estranha clareira habitada somente por garotos que são trazidos de mês em mês. É cercada de altos muros que dão passagem para um labirinto. As portas deste se abrem de dia para os garotos procurarem uma saída dali. E de noite, bom, há um bom motivo para à noite as portas se fecharem, MWHAHAHAHAHA. v-e-r-d-u-g-o-s
A história já é, em si, cercada de mistério, de perguntas e mais perguntas. 
E o mistério só aumenta quando uma garota aparece no elevador. 


Eu li o livro esse ano, mas foi por tradução na internet T_T Tava difícil de achar o livro por aqui ~sem falar na grana que tá difícil também~ e como eu estava louca pra ler, baixei mesmo. Por isso não resenhei aqui, pois alguns pontos que eu não gostei foi por causa da tradução, então a minha opinião verdadeira sobre o livro seria, sabe, "prejudicada". Mas pretendo comprar os livros em breve, pois estou louca pra ler a continuação :3 *queria comprar antes do filme lançar, porque vai ficar muito mais caro e quero a capa oficial, mds, quem quer me dar de presente, hein hein hein?-n* Quem sabe quando eu ganhar de presente comprar eu resenhe aqui. Mas, fica a dica.
É uma trilogia, contendo mais dois livros "extras" (um não está na foto, mas ok)

E olha, se alguém já leu o livro e resenhou, deixem o link aqui, ok?
Espero que tenham gostado da postagem,
Kissus no kokoro ~

23 de julho de 2014

O retorno de Merlim, de Deepak Chopra

A história, primeiramente, se passa em Camelot, nos tempos de Arthur. Certa noite, os moradores, assim como o rei e o grande mago Merlim, estavam sentindo que algo de ruim estava pra acontecer. E estavam certos. Mordred, o filho vilão do Rei Arthur resolve dar as caras e atacar o reino. Conseguem invadir o castelo e chegam ao rei, que está um pouco misterioso por conta de um recado que Merlim lhe enviara. Digamos que, aparentemente, Mordred triunfa nessa batalha, hehe. Mas, vencida a batalha não quer dizer que venceu a guerra, não é? :) Assim, o livro nos desloca para a nossa época, onde todo esse conflito entre Mordred e Merlim *e Arthur* é transferido. A partir daí novos-velhos personagens são chaves para o desenvolvimento da história, seja nos tempos de Arthur, seja nos tempos atuais.
Jamais os mortais se sentem tão humilhados quanto quando sua casca de segredos se rompe e a doce verdade ganha entrada.  p. 156
Gosto de livros com histórias clássicas/mitológicas que se passam nos tempos atuais. Fiquei curiosa, mas com um pouco de receio no início, pois eu não conhecia praticamente nada sobre a lenda de Arthur.Pra falar a ~verdade~ sabia que ele era um rei. E que ele conseguiu tirar uma espada de uma pedra. E que tinha uma espada chamada Excalibur. E sei que Merlim era um mago. Somente isso, UAHHAHAHA :P

No início, o livro me cansou. Não me prendeu, pois todos os personagens novos me confundiam e a história estava, digamos, lenta. E como eu não conhecia ~nada~sobre a lenda, fiquei meio confusa. MAS MAS MAS, a partir do momento que algumas peças se ligaram e a história começou ~realmente~ a fluir, eu não larguei o livro pra nada. É incrível, cada personagem tem uma importância na história, cada ato, por mais simples que seja, tem um efeito importante na história em si, seja no passado, presente ou futuro. E o negócio de ~saber quem é quem~ criou um mistério no livro, porque ninguém sabe quem é o Mordred, ou quem é aliado de Arthur ou não, hehe xD

Ele disse apenas que as pessoas vivem todas as suas vidas encerradas dentro de muros. A realidade está diante delas, porém elas não a vêem, porque aquilo que vocês chama de realidade é apenas o reflexo de suas expectativas. Vocês projetam as mesmas imagens em todos os lugares que vão. Elas os cegam; mantêm-nos acorrentados ao passado, mas seu maior medo é que o espelho um dia possa mostrar a realidade. p. 182

O livro aborda bastante temas como o tempo, magia, abandono de certas coisas, conceitos, apegos, etc. É bem legal :)  E falando em magia, o Merlim é um carinha bem sábio, inteligente mesmo. Adorei ele, mas eu confesso é um pouco louco, huehueh. (e o Joey também)

O tempo, meu caro, a tragédia do tempo. Todo o mundo se lembra de uma época em que era protegido do mal pela magia onipotente, a infância. É entrão que recebemos a impressão de seres que detêm todo o poder do mundo. Nós os chamamos de pai e mãe. Sua proteção mágica só durou o tempo de nós crescermos e superá-la. Lembre-se, aos dez ou 11 anos, você já tinha superado seus deuses familiares, que haviam sido reduzidos a pai e mãe, com contas a pagar e sem a competência de responder a determinadas perguntas. Pobres deuses destronados. Perdê-los constitui um abalo terrível.  p.179
Para mim, o livro é muito bom, vale a pena ler. Me fez criar um interesse para conhecer mais sobre a lenda arturiana. Recomendo, pessoal; principalmente quem gosta de histórias fantásticas e versões novas de histórias clássicas :)
Nota: ♥♥♥♥ (4/5)

FICHA TÉCNICA:
Nome: O retorno de Merlim
Autor: Deepak Chopra
Número de páginas: 457
Editora: Rocco
Ano: 1996
ISBN: 8532506240
// NO SKOOB //

É isso pessoal, espero que tenham gostado,
Kissus no kokoro ~