6 de agosto de 2015

Anime: Fruits Basket

Já estou avisando de antemão: tá cheio de gifs. 
Hey vcs, como é que estão? Meus dias sem fazer nada aqui em casa estão bem chatos. Eu fico pensando ~mierdas~ o tempo todo, nada me anima... Tô tentando resolver umas coisinhas aqui, se tudo der certo, esse problema vai mudar. Espero que sim.
Aliás, quero agradecer pelos comentários no post anterior :3 Sei que sou lerdeza na hora de responder/retribuir e tal, mas li todos com muito carinho. Sem falar que fico muito apreensiva na hora de ressuscitar o blog, e fiquei muito surpresa por ter pessoinhas visitando! O pior é que essa minha onda de desânimo tá me afetando na hora de postar aqui também T_T
Ok, agora voltando ao assunto do post: eu, como rainha da lerdeza, esqueci de fazer o post que eu deveria queria ter feito há tempos: falar sobre o anime que é "tema" desse layout malfeito atual do blog.


O nome do anime é Fruits Basket e conta a história de Honda Tohru, uma garota meiga que sofreu bastante, pois perdeu sua mãe em um acidente de carro. Morava com seu avô paterno, mas este mudou-se para a casa da filha. Agora Tohru vive em uma tenda no meio da mata, em segredo, pois não quer dar trabalho aos seus amigos. Em um dia qualquer, a moça encontra uma casa perto da área em que mora: ali vive seu colega de classe Yuki Sohma junto com os primos Kyo e Shigure. Eles, vendo a situação da guria, a convidam para morar junto com ela.
vejam a solidariedade do Shigure quando vê que a menina tá morando numa tenda sozinha, rs
Logo depois, Tohru vai acabar descobrindo o segredo daquela família: treze pessoas da família são amaldiçoadas: são possuídas pelos espíritos dos animais do zodíaco chinês e, assumem a sua forma animal toda vez que são abraçados por pessoas do sexo oposto ou quando estão fracos.

Resumindo: uma guria vai morar com três caras que, se forem tocados por gurias, viram bichos. Claro que isso vai dar super certo, percebem?, rs.

*spoiler básico: na mesma casa, moram o cão, o gato e o rato PENSEM NA SITUAÇÃO HAHAHAHA





Quando o resto da família ouve falar sobre a garota que está vivendo com os três carinhas, eles vem conhecer ela. E cada outro personagem é mais engraçado que o outro. Eu não consigo me decidir qual é o meu preferido: tem o Haru *vaca*, Aya *cobra*, Kisa *tigre*, Momiji *coelho* São tantos personagens legais :3


Claro que cada personagem possui histórias sobre si, cada um tem um drama, até porque eles são amaldiçoados. E, ao decorrer da história, eles nos contam um pouco sobre si. Apesar de ser dramático, o anime foca no lado cômico da relação entre a garota e os integrantes da família. Tem romance? Tem um pouco, mas não é o foco. 
Aliás, nem todos os animais do horóscopo aparecem aí, e isso fez com que várias pessoas preferissem o mangá ao anime. Eu ainda não li o mangá, mas eu adorei o anime.

E agora, acho que vocês entenderão o header do blog: os doze animais embaixo, o gato (que não faz parte, oficialmente do zodíaco [vcs vão entender a história do gato ao assistir o anime]) e a Tohru, representada pelo onigiri.



Ficha técnica
Nome: Fruits Basket
Direção: Akitaro Daichi
Estúdio: Studio DEEN
Número de episódios: 26
ONDE ASSISTIR? Link aqui

7 de julho de 2015

Cidades de Papel, do John Green

O livro nos leva a conhecer Quentin *vulgo Q*, um garoto que está no último ano do colégio e é super apaixonado por Margo Roth Spielgeman, sua vizinha e amiga de infância - que não está nem aí pra ele. Em uma noite, a Margo Roth Spielgman (sim, o nome dela aparece completo várias e várias vezes na história) aparece em sua janela, vestida de ninja, pedindo para Quentin ajudá-la em um plano de vingança. Depois da noite executando os planos, a garota some e o nosso adorável Q tem a missão de seguir pistas para encontrá-la.

"É muito difícil ir embora — até você ir embora de fato. E então ir embora se torna simplesmente a coisa mais fácil do mundo."

A história é dividida em três partes: Os fios, que é a noite em que Margo e Quentin saem pelas ruas de Orlando vingando-se de algumas pessoinhas. Essa parte do livro passa bem rápido pois é, em si, aventura e fiquei bem aflita por eles poderem ser pegos.

A segunda parte é chamada de A relva; acontece logo após o sumiço de Margo. Essa parte é a mais lenta, pois é onde o Q e seus amigos tentam encontrar e seguir as pistas deixadas por Margo, pistas estas que são bem ~filosóficas~ então, enquanto o Q está lá se matando pra deduzir o que se passava pela cabeça da guria, estamos aqui do outro lado ansiosos se perguntando WHERE IS THE CRAZY GIRL?

A terceira parte intitulada O navio é onde o Q vai, enfim, em busca de Margo. Ou seja, temos "todas" as explicações do que realmente aconteceu.

Este é o  segundo livro que leio do João Verde e posso dizer que a sua escrita continua no mesmo nível de A culpa é das estrelas: leve e dinâmica, não faz o leitor cansar e sempre com uma boa pitada de humor. 

Sobre os personagens, destaque para Radar e Ben - amigos do Q - pois foram eles que me fizeram rir muito durante a história. O Quentin é um personagem que, no início, o considerei muito idiota pelo fato que: a menina não te dá bola a vida toda, mas aparece na tua janela, no meio da noite, vestida de ninja PORQUE NÉ SUPER NORMAL e te pede pra fazer coisas que geralmente fazem pessoas irem pra cadeia.

Ele muda durante a história: aprende a sair de sua zona de conforto e tem a chance de ser corajoso, de enxergar as inúmeras possibilidades de ser/fazer algo no mundo. Então sim, adorei o garoto Quentin.

Apesar de Margo ser o centro da história, ela aparece poucas vezes no livro. A garota é muito inteligente, porém é bastante egoísta. Na verdade, eu tive muita dificuldade ao tentar definir a Margo, porque eu me identifiquei muito com ela - eu entendi ela - e, 1) eu a odiei, fiquei com vontade de dar um tapa na cara e falar PARE MIGA SEJE MENAS 2) ser amiga dela, porque ela entenderia um monte de coisa que passa por minha cabeça 3) queria ter a coragem dela.

eu sou Margo, mas não gosto da Margo e também adoro a Margo.

"— É mais impressionante — disse eu, em voz alta. — Assim, ao longe. Não dá para ver o desgaste das coisas, entende? Não dá para ver a poeira ou as ervas daninhas ou a tinta rachando. A gente enxerga o lugar da forma como alguém um dia o imaginou.
— De perto tudo é mais feio — disse ela."

Nenhum dos personagens do livro a conhecem, de verdade. Ela tem um jeito diferente de ver a vida: é uma pessoa que não se prende à laços, nos mostra que muitas coisas que estamos fazendo hoje não têm sentido algum. São coisas de papel, coisas superficiais.
Isso é bom, porque realmente nós devemos nos perguntar se o que estamos fazendo hoje realmente fazem a sua vida ter um sentido. A questão é: ela foge. Essa visão diferente que ela tem do mundo também sustenta o seu "egoísmo".

"São tantas pessoas. É tão fácil se esquecer de como o mundo é cheio de pessoas, lotado, e cada uma delas é imaginável e sistematicamente mal interpretada."

Cidades de Papel é uma história boa e bem humorada, que fala sobre o quanto desconhecemos/julgamos as pessoas ao nosso redor; sobre o quanto a vida é curta para ligarmos para coisas banais. É um livro para refletir. Sério mesmo pessoal, esse foi um livro que li há tempos e, ainda hoje me pego pensando nele. Bugou minha mente, uahahha -n Gostei bastante mesmo, mas ainda assim não superou ACEDE.


Nota: ♥♥♥♥♥(5/5)


Ficha técnica:
Nome: Cidades de papel
Autor: John Green
Número de páginas: 368
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
ISBN: 9788580573749
// NO SKOOB //

Alô alô

Olá pessoal. (se é que ainda alguém vem aqui, uhahaha) Tudo beleza?
Eu estava vendo e a minha última postagem nesse blog foi em abril. E já passaram o quê? Três, quatro meses? É, quase isso. 
Enfim, eu deixei recado aqui e no facebook explicando os motivos do meu sumiço, e foi exatamente aquilo: fase final do meu curso. Enfim, concluí o curso (agora sou, oficialmente, desenvolvedora web, aehooo \o/ -qn) e atualmente estou num poço de ócio aqui em casa. Ou seja, finalmente terei tempo pra retomar as atividades do blog. 
Eu sempre fico apreensiva quando ~sumo~ e volto. Sempre acho que as pessoas esqueceram disso aqui, que meu blog vai flopar (mais do que já é flopado, uhahaha) mas estou decidida a me esforçar aqui nesses meses restantes de 2015.
Então, é isso. Não gosto de fazer posts assim, por isso, o próximo post será publicado daqui a pouco. E tô louca pra voltar a fazer postagens, tô louca pra mudar esse layout.
Abraços, até daqui a pouco e irei responder/retribuir os comentários atrasados aos poucos.

26 de abril de 2015

Tag: 7 coisas.

Olá pessoal, tudo bom com vcs? Tô aqui, boiando no tédio com a sensação de que tenho muita coisa pra fazer, mas tô legal. A Sara, do blog Interesses Sutis me indicou uma tag bem interessante chamada 7 coisas, onde responderei 7 coisas de um determinado tópico e depois indicar 7 blogs para responder os mesmos tópicos. Obrigada por indicar, Sara :) E agora, vamos lá!




7 coisas para fazer antes de morrer

- Ter minha biblioteca;
- Viajar pelo mundo fotografando;
- Fazer uma faculdade que eu realmente goste;
- Aprender outro idioma;
- Aprender a tocar algum instrumento musical;
- Ter minha própria casa, do jeitinho que eu sonho, comprada com meu dinheiro;
- Ser feliz, seja lá como for.



7 coisas que mais falo

- Cara (seja homem, mulher, menino, menina, cachorro, gato... eu falo 'cara');
- Mãe;
- Por Karias! (que significa "porcaria", de acordo com o dicionário de neologismos de Sara);
- Tô com fome;
- Tipo...
- Preciso de mais livros;
-  Quê?/What?

7 coisas que faço bem

- Aprender coisas;
- Ler;
- Ser distante das pessoas;
- Fazer cálculos;
- Lembrar coisas;
- E esquecer coisas quando preciso lembrar delas;
- Ser paciente.


7 coisas que me encantam

- Livros;
- Música;
- Fotografia;
- A natureza;
- Simplicidade;
- Inocência;
- Inteligência.


7 coisas que eu não gosto 
- Egoísmo;
- Meus pés gelados;
- Preconceito;
- Pimenta-do-reino;
- Falta de respeito;
- Pessoas que mexem na minha prateleira sem permissão;
- Carne.


7 blogs para responder a tag

- Zombies Vegetarianos
- Coisas de mineira
- Meia noite e quinze
- Diário de um ledor

Só pra constar: foi complicado para listar essas coisas.Isso só comprova que eu não me conheço e que tenho uma dificuldade enorme de falar sobre mim mesma. Preciso treinar isso T__T haha
Espero que tenham gostado!
Kissus